Curso PREGAÇÃO – preparando a homilia

“Como melhorar a pregação Sagrada / Coluna do Pe. Antonio Rivero, L.C., editada pela Zenit.com e divulgada pelo blog cmliturgo, é um curso completo em 36 artigos que visa ajudar na preparação de uma boa Homilia.

Discussão –  01

Com a intenção de colaborar na Pregação Sagrada começamos aqui esta coluna dirigida especialmente, mas não somente, aos sacerdotes (presbiteros, diáconos e ministros extraordinários da palavra).

“Como melhorar a pregação Sagrada / Coluna do Pe. Antonio Rivero, L.C., professor de Teologia e oratória no seminário Interdiocesano Mater Ecclesiae de São Paulo”.
Padre Antonio Rivero nasceu em Ávila (Espanha) em 1956. Possui Mestrado em Humanidades Clássicas, Mestrado em Filosofia, pela Pontifícia Universidade Gregoriana de Roma e Mestre e Doutor em Teologia, pelo Ateneu Regina Apostolorum, também em Roma. Publicou cinco livros e gravou mais de 200 CDs de formação. Ministra conferências nos Estados Unidos e em Latino América sobre pastoral familiar, formação católica e juventude e oferece cursos de formação para religiosas e sacerdotes.
***
Agradeço a Zenit a oportunidade de colaborar com um grão de areia na formação sacerdotal neste campo da Pregação Sagrada, tão importante hoje em dia.
Colocamos aqui no blog cmliturgo essa coluna que com alegria e prazer, compartilhando com vocês o fruto da formação do Pe. Antonio Rivero, professor de oratória por mais de 30 anos, e a sua experiência em 26 anos como sacerdote, pregando, levando e explicando a Palavra de Deus.
pregar

E para ser mais clara a apresentação desta coluna de Zenit sobre a Pregação, deixo-lhes hoje alguns pontos para que fiquem no grande tesouro da memória:
1. Toda a nossa vida como sacerdotes será pregar.
2. Existem várias formas de pregação: a oração, o sacrifício, o testemunho pessoal, o ministério dos sacramentos e o ministério propriamente da pregação sagrada, tão importante hoje.
3. A pregação sagrada ou oratória sagrada não é uma técnica para vender nossa “mercadoria” de Deus. Isso seria uma espécie de profanação da Palavra de Deus. Assim fazem algumas seitas protestantes que se preparam nos aspectos psicológicos da oratória para ganhar seguidores e dinheiro. Isso não deve acontecer conosco, ministros e pregadores dos Mistérios de Deus.
4. Ninguém quer ter um auditório dormido, bocejando, chateado… na hora da pregação. Queremos um auditório que desfrute e esteja bem disposto para a nossa pregação. A fé vem pelo ouvido, nos diz são Paulo em Romanos 10, 17. Para isso, é necessário saber pregar bem. Não somente pregar. É necessário pregar bem, porque nem sempre teremos diante pessoas que nos suportem por caridade, nos aguentem e não nos falem nada sobre a nossa pregação.
5. Ofereço-lhes esta coluna de Pregação Sagrada, como fruto da minha experiência de pregador, durante meus 26 anos de ministério sacerdotal. Doze desses anos, preguei diariamente na paróquia de Buenos Aires; além do mais dei inúmeras palestras, tríduos, retiros e exercícios espirituais que oferecia a homens e mulheres.
6. Estas são dicas que me ajudaram. Esperemos que também possam ajudá-los, queridos sacerdotes (presbíteros, diáconos e ministros extraordinários da palavra).

CELEBRAR A MISERICORDIA

A partir da bula papal Misericordiae Vultus refletir sobre a dinâmica, vivencia e ação celebrativa do ano jubilar da misericórdia.

 

ano santo
2016 – ANO DA MISERICÓRDIA

O jubileu da Misericórdia necessita antes de mais nada ser celebrado… assim será mais eficazmente vivido e testemunhado como reflexo da misericórdia do Senhor.

Com esse espírito universal através da bula papal Misericordiae Vultus (MV), desde 8 de dezembro de 2015 (inicio solene do Ano Santo) uma sequencia de atividades estão sendo simultaneamente executadas em Roma e nas Igrejas particulares como sinal visível da comunhão de toda a Igreja (MV n.3) terrestre e celeste.

Por isso cada diocese, cada Igreja particular, cada comunidade (pastoral, grupo, movimento) e cada cristão faça o que estiver ao seu alcance para que, sobretudo liturgicamente, o Jubileu seja vivido como um “momento extraordinário de graça e de renovação espiritual” (MV n.3), mas, para que isso seja possível deve haver maior empenho na promoção e realização de celebrações com propriedade, simplicidade e beleza de acordo com os tempos litúrgicos do Ano C.



As “24 horas para o Senhor” (a ser celebrada no Vaticano iniciando na sexta-feira e terminando no sábado anteriores ao IV domingo da quaresma) (MV n.17), é uma iniciativa que pode ser incrementada pelas diceses em resposta ao apelo do Sumo Pontífice para que especialmente neste Ano jubilar os fiés se reunam para rezar juntos nas comunidades.

A sugestão pode ser vivenciada na data proposta ou em outra e nas atividades pode-se contemplar; a oração da liturgia das horas, o terço da misericórdia, a adoração ao Santíssimo Sacramento, o atendimento dos fieis que buscam o sacramento da reconciliação, a leitura e meditação da palavra com o método da Léctio Divina e a participação na celebração da Eucaristia.

Não há um roteiro pronto para tal finalidade, porém, vários subsídios litúrgicos trazem indicações para que as comunidades preparem este e outros momentos, neles (os subsídios) encontramos luzes, sugestões e esclarecimentos; que fomentem o propósito intimo de cada um(a) em mergulhar e vivenciar momentos de intensa oração com os diversos elementos propostos para o Ano Santo, assim, juntamente com as peregrinações às portas santas da misericórdia, celebrações do ano litúrgico, obras espirituais e corporais (MV n.15).

As 24 horas para o Senhor acrescenta-se como um momento salutar neste itinerário que pretende conduzir a todos(as) para experimentar e viver o grande amor de Deus, abrindo o coração aqueles que vivem nas periferias existenciais e se tornando “Misericordiosos como o Pai” (Lc como6,36).

Por: Diac. Carlos Magno Ericeira