Há Páscoa hoje?!

uma reflexão sobre o sentido da Páscoa.

Reflexão de Carlos Ericeira
Reflexão de Carlos Ericeira

Estamos presenciando um tempo com sinais marcantes; o desequilíbrio da natureza, a crescente desvalorização da vida, a corrupção despudorada, o desabafo populacional, manifestações, lutas, massacres e um crescente e ecoante pedido de basta. Como encaramos estes sinais? Que reações eles provocam em nós?

Anualmente falamos de ‘páscoa’ que estoura em apelos comerciais, que inflama as prateleiras com deliciosos ovos de chocolate e coelhinhos de pelúcia. Mas, e a Páscoa[1]? Aquela que imprimi em nossa alma uma mudança, uma certeza de que por além das sombrias nuvens da madrugada desponta o Sol da justiça; aquela que dissipa as trevas da morte fazendo germinar no amanhecer um novo dia, uma nova historia onde tudo será melhor. A Páscoa, que mortifica as dores, as mazelas, as misérias, conduzido-nos para a ressurreição, a que ressurge com raios de paz, igualdade, honestidade, humanidade e santidade.

logo do blog CMLITURGO
logo do blog CMLITURGO

Celebramos a Páscoa anualmente (semanalmente), como mistério encarnado[2], padecente e glorioso[3] que em todo o mundo revela os vestígios de sua força, de sua luz.  Há sim, uma certeza confirmada no tempo e na história deste profundo mistério do Pai, revelado no filho pela ação do Espírito e é esta certeza que faz  surgir do meio do deserto de cada um de nós e da aridez de nossa vida social uma fonte de água viva[3] que jorra esperança, compromisso, solidariedade e a busca por um mundo mais humano e feliz.

Há Páscoa hoje e sempre em cada novo homem e mulher liberto de seus vícios; em cada lei que tira o povo da opressão, da miséria e falta de dignidade; em cada lugar que se liberta dos que exploram os bens e recursos em benefícios próprio; em cada ser humano que doa a sua vida pelo bem comum de toda a humanidade. Haverá sempre páscoa se cada um(a) que assumir sua co-responsabilidade com o mundo que Deus criou para vivermos em  harmonia e comunhão.

Cordialmente em Cristo,

Diac. Carlos Ericeira

 

[1] O termo “Páscoa” deriva, através latim Pascha e do grego bíblico Πάσχα Paskha, do hebraico פֶּסַח (Pesaḥ ou Pesach, a Páscoa judaica) que significa passagem.  [2] cf. Fl 2, 6-7    [3] cf. Lc. 9, 18-24  [4] Cf. Jo 7, 37-39

Participe do curso de liturgia

As formações litúrgicas se multiplicam e o que temos não mais um sonho e sim uma realidade que a cada dia exige mais e necessita da sua opinião. Deixe sua contribuição sobre as formações que estamos desenvolvendo.

As formações litúrgicas estão em andamento, iniciamos as turmas do curso de liturgia  em parceria com o IESMA (Instituto de Ensino Superior do Maranhão), e também estamos com formações na Paróquia São Cristóvão e livraria PAULUS.

Curso de Liturgia
turma de 2014 – IESMA

A caminhada que começou em 2014 com a 1ª turma (84 participantes (concluíram 76) e no ano passado (2015) a 2ª turma (com 110 e concluímos com 86). Agora assume um novo perfil com novas metodologias, foi mantido a trajetória de 10 meses de estudo, com temas e módulos baseados nos documentos da Igreja, aos moldes da renovação Conciliar proposta pela Sacrossanto Concilium. 

Curso de Liturgia
Turma de 2015 – IESMA
curso de liturgia
turma de 2015 – IESMA

Como Coordenador deste projeto quero externar a minha grande felicidade, principalmente ao perceber o grande interesse do povo (Igreja), constatado pela expressiva dedicação dos cursistas em cada tema e assunto desenvolvido nas diversas fases desta formação. Assim como na 1ª e 2ª turma acreditamos que a perseverança e os frutos serão acima da média, pois, tratamos de desenvolver em nossa metodologia (VER – JULGAR e AGIR) um relacionamento que vai além do fornecimento de conteúdos teóricos, trabalhamos o desenvolvimento da pessoa no todo. 

A SC fala de participação plena, ativa e consciente e por (para) isso buscamos em tudo que é fornecido nos encontros, desenvolver nos cursistas a consciência de que ele precisa estar na ação litúrgica por completo (total), como corpo e não como um membro desfacelado (mutilado). 

Curso de liturgia
turma de 2015 – IESMA

A maior preocupação e  também o grande desafio é formar os cursistas não para a ordem do fazer e sim para a ordem do ser, pois, muitos buscam o conhecimento na área de liturgia para se tornarem meros tarefeiros e o que nós desejamos é que se tornem conscientes, estando e vivendo sua fé e ação celebrativa de corpo, alma e coração (Inteireza do ser).

formação liturgica
turma de 2016 – IESMA

Em 2016 pela graça de Deus estamos desenvolvendo várias formações litúrgicas na Arquidiocese de São Luis (MA), além do IESMA que terá a turma de 1ª etapa e 2ª etapa (aprofundamento) para os que  concluíram nos anos de 2014/15, já estão programadas formações na forania São Cristóvão, Paróquias e livraria PAULUS. Com o objetivo de alargar o horizonte e buscando cada vez mais levar a formação litúrgica para próximo das pessoas foi que criamos esta página e já estamos trabalhando para estruturar um curso virtual para disponibilizar aos internautas, sabemos que ainda há muito para ser melhorado em nosso serviço e é por isso que insistimos em saber a sua sugestão, questionamento e ou critica (construtiva) para que possamos oferecer a cada dia um trabalho cada vez mais primoroso e dedicado a promoção da consciência plena.

Estou aguardando a sua participação! Cordialmente,

Carlos Ericeira

 

Pregação Sagrada – preparando a homilia (texto 02)

Neste segundo texto continuamos a reflexão sobre a pregação sagrada (como preparar uma boa homilia) a discussão aqui é sobre os pré-requisitos. O curso completo é composto de 36 textos.

Hoje vamos falar dos pré-requisitos da Pregação Sagrada:

O primeiro é estar ciente de que somos ministros da Palavra desde o batismo, e essa responsabilidade aumenta no dia na nossa ordenação sacerdotal. Por isso devemos ler, meditar, ruminá-la durante toda a nossa vida. Devemos fazê-la nossa, vestir-nos dessa Palavra, encarná-la na nossa vida. Somente assim a transmitiremos fielmente, sem cortes, sem minguas, sem obscurecê-la ou rebaixá-la.

Preparando uma boa homilia
Curso de Pregação Sagrada

Em segundo lugar estar ciente de que é Deus que converte as almas, não nós. Mas Ele nos utiliza como canais, alto-falantes, aquedutos e ministros da sua Palavra para iluminar as mentes, aquecer os corações e mover as vontades para que amem a Deus e cumpram os seus mandamentos. Por isso, temos que estar bem preparados neste campo da pregação da Palavra. Todos os nossos estudos humanísticos, filosóficos, teológicos, pedagógicos… têm como termo final a nossa pregação, seja escrita (livros, artigos…), seja oral (homilias, retiros, congressos, palestras…) para a conversão das almas à luz desse Palavra transmitida e explicada por nós. Estudamos para estarmos melhor preparados na hora da nossa pregação sagração, não por desejo de vaidade, mas porque essa Palavra de Deus merece ser tratada e anunciada com dignidade, clareza e unção.

Em terceiro lugar estar ciente de que a Palavra de Deus está destinada a brotar, a crescer e a dar fruto na alma dos homens. Por si mesma, a Palavra tem toda a força de entrar no coração do homem e convertê-lo. Então, onde está o erro? Uma de duas coisas: ou em quem prega, que não sabe fazê-lo, ou no campo – na alma – que recebe essa Palavra pregada. Que pelo menos não seja por nossa culpa como pregadores sagrados. Se o coração dos homens está fechado como Cristo nos diz na parábola do semeador por causa das pedras, dos espinhos, da superficialidade (cf. Mateus 13, 1ss Parábola do Semeador)… aí está o desafio de um bom pregador: ajudar essas almas a se abrirem para a Palavra. E quais são os recursos que existem além da oração e do sacrifício? A pregação bem preparada, incisiva, respeitosa, profunda, clara, motivadora e bem pronunciada!

Na semana passada apresentei aos leitores do Blog CMLITURGO essa coluna sobre Pregação Sagrada. O texto 01 você pode ler clicando aqui. Deixe seu comentário, no próximo texto começaremos com alguns conselhos práticos que podem ajudar na Pregação Sagrada – preparação da homilia.

Coluna do Pe. Antonio Rivero, L.C., professor de Teologia e Oratória no seminário Interdiocesano Mater Ecclesiae de São Paulo.